Arteagora2

A arte brasileira é muito mais do que sua inegável qualidade ou sua admirável variedade. Isto porque o Brasil – e São Paulo, mais especificamente – é o lugar da arte agora. A SP-Arte 2013 tem número recorde de galerias estrangeiras, que trazem para SP em abril obras dos principais nomes da arte contemporânea internacional, resultado de um amadurecimento do mercado de arte brasileiro e, sobretudo, da relevância da feira paulistana.

Como se sabe, toda metrópole que sedia uma feira internacional de peso desenvolve eventos-satélite (que ocorrem no mesmo período da feira de arte) que ganham relevância e respeito ao longo do tempo. Os primeiros dias de abril em São Paulo passam a ser, a partir de 2013, sinônimo de escala obrigatória no calendário e na rota de todo artsy globetrotter do mundo. Resumindo, Basel é aqui.

Em sintonia fina com os desdobramentos do cenário contemporâneo, a galeria Lourdina Jean Rabieh realiza, na semana da SP-Arte, a segunda edição de seu antenadíssimo evento Arte Agora. Reunindo artistas de várias galerias de SP e apresentando também novos nomes da arte brasileira em quem Lourdina aposta, a mostra seguida de leilão abre alas para duas tendências inexploradas no Brasil: a do evento-satélite e a do leilão de arte exclusivamente contemporânea.

Newman Schutze, Eduardo Srur, Flávia Junqueira, Rosângela Dorazio, Eduardo Verderame, Adriana Afortunatti e Leticia Rita são alguns dos nomes incluídos nesta competente seleção de artistas, que é bastante representativa das linguagens e temáticas atuais no contexto da arte contemporânea. Pintura abstrata, intervenção pública, fábula fotográfica, paisagem retificada, plotagem conceitual, assemblage visceral, instalação neominimalista... A arte de agora, aqui e agora.



Juliana Monachesi

Março, 2013​